Volkswagen SP2 (Projeto “X”)

Dando continuidade ao nosso blog, hoje iremos ver um dos clássicos esportivos nacionais feitos aqui, o Volkswagen SP2:

Volkswagen SP2 (1) Apesar de não tão raro, é muito difícil ver um desses.

Projetado totalmente no Brasil, o que era algo raríssimo na década de 70 para qualquer montadora, utilizava a base da Variant e foi projetado para ser um esportivo a frente de seu tempo e de carroceria leve. Utilizava a mesma mecânica dos demais “aircooled´s” da época, um 1600 Cm³ com 65 HP, e era chamado de SP1. Como o motor não empolgava, logo ganhou má fama e a sigla SP virou piadinha, sendo abreviação de “Sem Potência”.

Volkswagen SP2 (2) Sucessor do SP1, tinha a missão de apagar do currículo a piada de ser um “sem potência”

Pouco tempo depois do lançamento do SP1, surgiria o SP2 para reverter (ou pelo menos tentar) a situação. O fantasma “sem potência” também rondava o novo modelo, equipado com um motor de 1700 Cm³ e desenvolvendo 75 HP. Com esse motor, chegava aos 160 km/h e com uma média de consumo de 10 km/L, o que não é nada mal para um esportivo refrigerado a ar (tá, poderia ser um pouco melhor sim, mas estamos falando de anos 70, então…), e essa foi a versão que acabou prevalecendo no mercado nacional. Com acabamento superior e interior requintado, acabava sendo mais moderno que o outro esportivo da marca, o Karmann-Ghia TC, mas o motor de desempenho fraco acabou desagradando no SP1, que mal fora lançado e já havia saído de linha (há muitas histórias a respeito desse modelo, sendo a mais conhecida de que a própria Volkswagen teria recomprado os poucos modelos feitos, o que tornaria este modelo raríssimo hoje). O mesmo acabamento foi mantido no SP2, o que agradou mais com a nova mecânica.

Volkswagen SP2 (3) Com interior e acabamento mais primoroso que o Karmann-Ghia TC, o SP2 tinha tudo pra ser um sucesso.

A idéia original era fazer um esportivo leve e ágil, só que curiosamente os fabricantes artesanais acabavam levando vantagem e usando a mesma base mecânica (chassi e motor do Fusca), tendo maior destaque a Puma com seus GT 1600. Por ser em fibra de vidro, muito mais leve, acabava “botando no chinelo” o SP2, e usando uma mecânica mais “fraca” frente ao rival de lata. Por ser um veículo de pequena escala de produção, seu preço ia as alturas (e a Puma adorava isso, e via os seus modelos tomando conta das ruas). Com o valor de um SP2, era possível comprar 2 Fusca 1300 e ainda sobrava uns trocados. Com pouco mais de 10.200 unidade fabricadas (10.207 unidades mais precisamente, sendo 670 delas exportadas para a Europa) no período de 1972 a 1976, hoje é um carro que começa a ficar super valorizado devido a sua história e sua raridade, já que desde pouco mais de 10.000 unidades, estima-se que apenas 8.000 estejam rodando por ai, originais ou “xunnados” (eu vi um e em breve mostrarei a vocês, se eu ainda tiver as fotos…)

Volkswagen SP2 (4) Hoje, um SP2 em bom estado vale uma boa grana!

O exemplar das fotos, flagrado aqui em Itapema/SC, era mais raro ainda pois ostentava a cobiçada “placa preta” (que por questões de segurança não a deixamos exposta, e colocamos a “nossa placa” no lugar). Existe um na cidade, mas raramente se vê rodando pelas ruas. Assim como os Karmann-Ghia e TC, os SP2 também estão sendo alvo de colecionadores estrangeiros.

Falando nisso, tem um site suíço chamado vwsp2.ch que mostra muita coisa sobre a história do modelo, bem como ficha técnica e até um vídeo de uma unidade rodando na Suíça (link no fim do post)

Ficha Técnica: Volkswagen SP2

Motor: Traseiro longitudinal 4 cilindros contrapostos (“boxer”), 8 válvulas (2 por cilindro), aspirado, alimentado por bomba de combustível e 2 carburadores Solex 34 PDSIT
Cilindrada: 1678 Cm³
Diâmetro X Curso: 88 mm x 69 mm
Taxa de Compressão: 7,5:1
Potência Máxima: 75 HP @ 5000 RPM
Potência Específica: N/D
Torque Máximo: 130 Nm @ 3400 RPM
Torque Específico: N/D
Cambio: Manual 4 marchas e ré, acionamento por alavanca no assoalho. Embreagem monodisco a seco
Suspensão: Dianteira: 2 barras de torção (feixe) e estabilizador, amortecedores pressurizados telescópicos de dupla ação
Traseira: 2 barras de torção (cilíndricas) e barra compensadora. Amortecedores pressurizados telescópicos de dupla ação
Freios: Hidráulico nas 4 rodas, com discos sólidos na dianteira e tambor na traseira
Rodas e Pneus Dianteira: em ferro medidas 5,5 J x 14H2 com pneus 185/65 SR14
Traseira: em ferro medidas 5,5 J x 14H2 com pneus 185/65 SR14
Carroceria: Coupé, 2 portas, 2 ocupantes, carroceria em aço
Dimensões: Comprimento: 4,21 M
Largura: 1,60 M
Altura: 1,19 M
Entre – Eixos: 2,40 M
Peso: 890 Kg
Tanque de Combustível: 40 L
Desempenho: Velocidade Máxima: 161 Km/h
Aceleração 0-100 Km/h: 14,2 s
Consumo: Urbano: 8,5 km/L
Rodoviário: 10 Km/L

 

Fonte: Wikipédia, VWSP2.CH (Site e Arquivo PDF)
Fotos: Kiko Molinari Originals®
Texto e Edição: Kiko Molinari Originals®

Sugestão de Post: Dauro Fernandes

1 Response to Volkswagen SP2 (Projeto “X”)

28 de fevereiro de 2013 21:37

Sem sombra de duvidas um belo carro e um marco na história do design automotivo brasileiro

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Copyright © 2010 Carros Raros BR. Todos os direitos reservados.
Blogger Template by Anshul Theme By- Simplywp. Adaptado por Rafael.