Nissan GT-R (CBA-R35)

Bom meus amigos e leitores do Carros Raros BR, depois de um tempo parado estamos voltando em grande estilo, e de pé embaixo com uma das super maquinas da Nissan, o novo GT-R (código de fábrica CBA-R35)

Nissan GT-R 2011 (1-1)[1] Um grande esportivo da Nissan, agora em “terra brazilis”

Este é o legítimo representante da linhagem dos GT-R, encabeçado pelos míticos Skyline R32, R33 e R34 sendo os mais conhecidos mundialmente, e tão antigos e conhecidos tanto quanto a própria Nissan.

Nissan GT-R 2011 (7-7)[7] Sua frente ameaçadora anuncia: “aqui é GT-R na pista!”

“Mas como assim mais antigo que a própria Nissan?” Vou explicar depois na seção “breve histórico”. Apesar de conhecido mundialmente, os Skyline GT-R eram vendidos apenas vendidos em países com “mão  inglesa”, ou seja, com direção no lado direito, e em sua maioria em países asiáticos. Alguns países da Europa como Inglaterra é possível encontrar algumas unidades do R33 e R34, e são disputados a tapas por preparadores e fans de esportivos.

Nissan GT-R 2011 (6)[6] Sem comentários!

Os Skyline, bem como todos os esportivos japoneses, possuem suas receitas de preparação, e no caso dos Skyline com seu motor RB26DETT não era diferente: muitos conseguiram tirar mais de 500 HP de força com certa facilidade deste 6 cilindros em linha e 2.6 litros. Já as preparadoras renomadas como Blitz, GReady, HKS, JUN Auto e muitas outras conseguem potências altíssimas, beirando, ou até passando da casa dos 1000 HP´s

Nissan GT-R 2011 (8)[8] O interior muito completo, com direito a regulagem da suspensão e demais regulagens no volante.

O modelo das fotos possui um V6 DOHC com dois turbos IHI (Ishikawagima Heavy Industries) com 3.8 litros de capacidade cúbica (motor este também conhecido com o código VR38DETT) e “modestos” 465 HP @ 6400 RPM, entregando um torque máximo de 588 Nm entre 3200 a 5200 RPM. Toda essa força é repassada para as 4 rodas por um cambio automatizado de 6 marchas e embreagem dupla, o que garante mais precisão nas trocas de marchas tanto no modo manual quando no modo automático. Números e especificações dignas de um GT-R

Nissan GT-R 2011 (9-9)[9]  A traseira leva as 4 lanternas redondas que são a marca registrada dos Skyline. 

E por falar em cambio, o do GT-R é instalado no eixo traseiro garantindo um melhor equilíbrio de peso (60% na frente e 40% atrás) e é feito pela BorgWarner, mas construído sob licença pela Aichi Machine Industries. Aliado ao cambio, tem o sistema ATTESA E-TS que transfere toda a força do VR38DETT para as 4 rodas. Soma-se a esse conjunto o sistema VDC-R (Vehicle Dynamics Control), desenvolvido pela Nissan para melhorar a estabilidade do “novo Godzilla”.

Nissan GT-R 2011 (10-10)[10]  O carro tem apenas 1740 Kg e anda muito aliado a um motor V6 biturbo e tração integral permanente

Toda essa força move seus 1740 Kg com muita facilidade. Seu ronco grave mostra que não é apenas mais um esportivo nas ruas, bem como sua agilidade digna de um cheeta, acelerando de 0-100 km/h em menos de 4 segundos, chegando a estonteantes 311 Km/h de velocidade máxima. Se a versão “premium” (a das fotos) já impressiona, então nem queira imaginar como é a versão “Black Edition

Breve histórico:

O Skyline é de fato o carro mais lembrado quando se fala de veículos japoneses. Curiosamente, o modelo Skyline é mais velho que a própria Nissan, esta fundada em 1966 depois da incorporação da Prince Motor Company (o Skyline teve sua produção iniciada em 1957, sob o código ALSID-1 pela Prince Motor Co.). A linha Skyline era considerada uma linha de carros compactos, composto de um sedan, um coupé e uma perua (Station Wagon). A partir de 1969, já como Nissan, a empresa desenvolve a versão GT-R, uma versão esportiva que chamou a atenção do mercado japonês no inicio e perdurando até 1974. Mas em 1989 a linha GT-R retorna ao portfólio da marca com a versão R32.

Seus motores da linha RB, que eram um 6 cilindros em linha e 2.6 litros, eram bem resistentes e despertaram o interesse dos tunners japoneses, ainda mais depois do desempenho no campeonato japonês de turismo, o JTCC (Japanese Touring Car Championship) vencendo todas as 29 etapas no ano de estréia. O primeiro R32 preparado saiu das mãos da VeilSide, o R32 Evolution III GTR, com estimados 500 HP de potência e bodykit incluindo caixa de rodas traseiras mais largas para acomodar os pneus igualmente largos, kit aerodinâmico entre outras preparações. Curiosamente apenas o R32 e o R34 tinham tração integral permanente (no R33 só existia na tração traseira, segundo minhas pesquisas).

800px-Nissan_GT-R_2005_TMS_1[1] O protótipo do que viria a ser mais tarde o GT-R R35.

Em 2002, a saga GT-R chegaria ao fim novamente, para tristeza dos fãs e entusiastas da marca. Por volta de 2003, a Nissan resolveu reviver o GT-R lançando a versão GT-R Nismo Z-Tune (“Nissan Motorsports Iinternational”, divisão de competição da Nissan) fabricando 20 unidades, mas no final foram feitas 19. Ao contrário do que diziam, os Z-Tune foram montados com base no Skyline GTS e usando Bodykits do Nismo GT500. Mas um ano antes, a Nissan havia apresentado no Tokyo Motor Show um carro-conceito mostrando como seria o GT-R do século 21. Já em 2007, com o R34 já fora de linha, outro protótipo do GT-R é apresentado, também no Tokio Motor Show, com algumas modificações em relação ao primeiro protótipo, e desta vez a Nissan disse que o modelo teria de 80 a 90% de chances de ser fabricado. E eis que em 2007 a versão pronta aparece, para delírio dos entusiastas e fãs da linha GT-R, e foi apresentado novamente no Tokyo Motor Show. Suas vendas começaram inicialmente no Japão em 6 de dezembro do mesmo ano, seguido de Estados Unidos e Europa no ano seguinte. No Brasil, o modelo chega pelas mãos dos importadores independentes.

E antes da ficha técnica, um vídeo desse mesmo GT-R (o primeiro de muitos a aparecer no blog… eu espero!)

Ficha Técnica: Nissan GT-R (CBA-R35)

Motor: Dianteiro, longitudinal, 6 cilindros em V dispostos a 90°, 24 válvulas (4 por cilindro) com comando de válvulas variável, sobrealimentado por dois turbo-compressores e injeção eletrônica de combustível.
Cilindrada: 3799 Cm³
Diâmetro X Curso: 95,5 mm X 88,4 mm
Taxa de Compressão: 9:1
Potência Máxima: 465 HP @ 6400 RPM
Potência Específica: N/D
Torque Máximo: 588 Nm @ 3200 – 5200 RPM
Torque Específico: N/D
Cambio: Premium Midleship: cambio automatizado de 6 marchas e ré com embreagem dupla e sistema ATTESA E-TS. Tração integral permanente
Suspensão: Dianteira: Independente Double Wishbone, molas helicoidais, amortecedores a gás e barra estabilizadora
Traseira: Independente Multilink, molas helicoidais, amortecedores a gás e barra estabilizadora
Freios: A disco ventilados nas 4 rodas Brembo, com pinças de 4 pistões cada
Rodas e Pneus: Rodas em alumínio de liga leve tamanho 20” com pneus Bridgestone 255/40 ZRF20 na dianteira e 285/35ZRF20 na traseira
Carroceria: Coupé “2+2”, 2 portas, 4 ocupantes. Carroceria em aço com portas, tampa do porta-malas e tampa do motor em alumínio
Dimensões: Comprimento: 4,65 M
Largura: 1,89 M
Altura: 1,37 M
Entre -  Eixos: 2,78 M 
Peso: 
1740 Kg
Tanque de Combustível: 71 L
Desempenho: Aceleração 0-100 Km/h:  3.8 s
Velocidade Máxima: 311 Km/h
Consumo: Urbano: N/D
Rodoviário: N/D

Fonte: Wikipédia, Site oficial da Nissan USADenker.Com.Cz (arquivo pdf) (Links traduzidos)
Fotos: Kiko Molinari Originals® e Divulgação
Vídeo: Kiko Molinari Originals®
Texto e Edição: Kiko Molinari Originals®

4 Response to Nissan GT-R (CBA-R35)

3 de agosto de 2011 22:45

a frente parece de Mitsubishi, mas é o carrão!!!

4 de agosto de 2011 01:12

Ao vivo é outra coisa!!!
Um ronco sem igual!

Abs
Kiko Molinari

12 de agosto de 2011 23:35

Na verdade,o R33 tinha tração nas 4 rodas.

13 de agosto de 2011 01:32

@gabrieldavid: vou corrigir isso. Valeu o toque ;D

Abs
Kiko Molinari

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Copyright © 2010 Carros Raros BR. Todos os direitos reservados.
Blogger Template by Anshul Theme By- Simplywp. Adaptado por Rafael.