DKW – Vemag Candango

Saindo um pouco da linha de Pick-Up´s, mas continuando com os “vintage”, exibiremos agora um dos pioneiros da indústria automotiva nacional: DKW - Vemag Candango.

DKW Candango 1DKW Candango 2 paint Depois que mudei para SC reparei que estava em uma terra “abençoada” no quesito raridades, tanto é que flagrei logo 2 Candango. Esse de cima foi o primeiro e estava nos arredores de Baln Camboriú. Já este abaixo…

DKW Candango verde (1) paintDKW Candango verde (2)DKW Candango verde (3)

…encontrei praticamente no “quintal de casa”, em Itapema. E está a venda! Quem se habilita a ter um clássico nacional em casa?

Breve Histórico:

O Candango é um automóvel brasileiro produzido pela Vemag, sob licença da fábrica alemã DKW. Foram produzidas 5607 unidades entre 1958 e 1963, mas algumas fontes falam em 7868 unidades ou em 4400 unidades. O nome foi dado em homenagem aos operários que participaram da construção de Brasília, inaugurada em 1960, chamados de “candangos”. Era derivado do off road alemão Munga, que fora produzido entre outubro de 1956 e dezembro de 1968. O nome Munga foi criado a partir da expressão em alemão: "Mehrzweck UNiversal Geländewagen mit Allradantrieb", que significa "automóvel de uso universal para qualquer terreno com tração nas quatro rodas".

A Vemag, que já lançara o automóvel e a perua DKW com o pipocante motor 1000 de dois tempos, trazia então esse novo veículo. Sem dúvida um nome tão feio quanto o do seu irmão europeu, mas necessário devido a problemas em relação ao pretendido Jipe, já legalmente registrado pela Willys, apesar da ortografia diferente - Jeep.

Numa alusão aos incansáveis trabalhadores que construíram Brasília - fortes e resistentes - o nome Candango ganhou forças e logo identificava o novo jipinho - como alguns ainda insistiam em chama-lo , que além do estranho nome era inigualável em aparência e também em barulho.

De início, todos os modelos fabricados possuíam tração integral permanente, e o “Candango 4” com era chamado, apresentava um desempenho inferior ao dos seus concorrentes no asfalto. A Vemag teve que acompanhar as necessidades de seus compradores e assim oferecer também um modelo com tração em apenas duas rodas. Muitos dos proprietários que utilizavam o Candango só o faziam somente no asfalto, e para isso acabavam retirando o eixo cardã para deixar o utilitário "mais solto". Só após 1960 os veículos com tração 4x2, dianteira, começaram a ser fabricados visando uma performance em terrenos não-acidentados mais adequada, sendo batizado de “Candango 2”.

Possuindo o mesmo motor do Munga (3 cilindros em linha, 2 tempos e 900 Cm³ de cilindrada), o Candango recebeu no Brasil um motor de 1000 Cm³ de 4 tempos a partir de 1961. Uma curiosidade: no modelo 4x4, a reduzida podia ser engatada com o veículo em movimento. Mas antes disso recebeu uma modificação de vulto, que foi uma capota de aço e, posteriormente, a introdução de quatro portas. Lembrando que, de fábrica, a Vemag entregava o Candango com capota de lona. As capotas de aço eram produzidas em diferentes modelos por empresas independentes.

Infelizmente, o feio-simpático Candango teve vida curta também no Brasil. Visando principalmente o mercado militar, a Vemag resolveu parar a fabricação deste veículo em 1964, após a negativa das Forças Armadas Brasileiras em adquirí-lo. Uma lacuna que ficaria preenchida apenas parcialmente pelo seu primo Willys-Ford, já que, proprietários, ex-proprietários e colecionadores juram solenemente que, os Candangos produzidos no Brasil, mesmo aqueles que já morreram, jamais poderão ser substituídos. Nem mesmo pelo mais moderno veículo 4x4 da atualidade. Afinal, quem seria tão feio quanto ele e, ao mesmo tempo, tão bom?

Dados Técnicos e Histórico:

Ano de fabricação (inicio e término)

1958 a 1963

Unidades Produzidas

5067* (estimativa)

Tipo de carroceria

Utilitário

Modelos semelhantes (derivados)

Auto Union Munga (Alemanha)

Motor

3 cilindros em linha
900cc entre 1958 e 1961 (com motor a dois tempos)
1000cc a partir de 1961 (com motor quatro tempos)

Caixa de marchas

4 (8) marchas à frente
1 (2) marcha(s) à ré
desdobramento efetuado pela reduzida

Distância entre os eixos (mm):

2000 mm

Comprimento (mm)

3445 mm

Largura (mm)

1705 mm

Altura (mm)

1746 mm

Peso Bruto (Kg)

1085 kg, vazio
1575 kg máximo admissível

Tanque de combustível

45 Litros + 10 Litros de reserva

 

Fontes: Allan Wagner Breder – Wikipédia, Clube DKW Vemag do Brasil          Edição: Kiko Molinari Originals®                                                             Fotos: Kiko Molinari Originals®

4 Response to DKW – Vemag Candango

6 de abril de 2010 19:34

Olá!! tenho um blog de carro tbm, gostaria de convidar vc e seus leitores pra conhecer, o link é:
O papo Aqui é carro
tem vários encontros de carros antigo fotografado por mim.
Obrigada!
Quiane

7 de abril de 2010 22:48

esse verde eu vi à venda em 2007, com motor de santana 2.0... eu se fosse para trocar o motor 2t original por um 4t optaria por um a diesel, poderia ser até o 1.6 da kombi diesel...

12 de abril de 2010 11:01

so de porto belo e
tenho um fiat 147 1980
e e muito bom ter blogs de carros antigos

12 de abril de 2010 14:13

Eu tenho um blog que fala sobre carros antigos www.girodosantigos.blogspot.com
Kiko, recomenda meu blog aê.
Abraço.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Copyright © 2010 Carros Raros BR. Todos os direitos reservados.
Blogger Template by Anshul Theme By- Simplywp. Adaptado por Rafael.